ALVIN - ALARMES VIA INTERNET

INSTRUÇÕES PARA USO COM MAIS DE UM RECEPTOR

Instruções mais organizadas estão no texto "Alvin_Manual_rx.pdf" (onde 'x' é o número de revisão do manual) que está no diretório Guia_do_Usuario que será criado ao descompactar-se o pacote de instalação do Alvin.

Segundo o Serginho (desenvolvedor do Alvin) podem-se usar mais de uma instância do Alvin no mesmo PC, usando-se portas COM e TCP/IP diferentes para cada um, todos falando pela mesma conexão com a internet - usando o mesmo IP, portanto.

IMPORTANTE:

Para usar-se o Alvin na retransmissão dos dados de UM transmissor NÃO é necessário executar-se mais do que uma instancia do Alvin cliente.

Para receber-se os dados de UM Alvin cliente, NÃO é necessário executar-se mais de uma instancia do Alvin servidor.


Para executar-se mais de uma instancia do Alvin no mesmo PC

No Cliente, faz-se uma cópia completa do diretório TC1 para um diretório TC2; no Servidor, faz-se uma cópia completa do diretório TS1 para um diretório TS2. Agora temos dois conjuntos completos de programas e bibliotecas nos 2 PCs.

O primeiro passo é executar-se o programa GetHwId.jar (uma vez apenas em cada um) nos dois PCs para obter sua identificação e mandar para cá para obtermos a liberação com o Serginho.

Um arquivo de configuração padrão para o Servidor e outro para o Cliente serão enviados junto com os de liberação serão remetidos de volta.

Copiam-se os arquivos de liberação e de configuração padrão para os diretórios TC1 e TC2 no Cliente e para os diretórios TS1 e TS2 no servidor.

Hipotéticamente, temos, no Cliente:

Um receptor MCDI na porta COM1 e

Um receptor SUR-GARD na porta COM2.

Ambos a 1200 baud, 8 bits de dados, sem paridade, um stop bit.

Uma conexão com a Internet via TCP/IP.

As portas 10000 a 10001 devem estar livres para uso.

Caso estejam em uso, escolhem-se outras, mas elas devem ser as mesmas usadas no servidor.

Liberam-se essas portas no Firewall e direcionam-se os pacotes recebidos por essas portas para o IP LOCAL (da rede local) do PC cliente no MODEM ADSL.


Hipotéticamente, temos no Servidor:

Uma conexão com a Internet pelo IP 200.180.110.9 (use o IP do MODEM ADSL NA Internet).

Duas portas seriais COM5 e COM6 ligadas a duas portas COM do computador de monitoramento de alarmes, ambas a 1200 baud, 8 bits de dados, 1 stop bit, sem paridade.

As portas 10000 a 10001 devem estar livres para uso.

Caso estejam, escolhem-se outras, mas elas devem ser as mesmas usadas no cliente.

Liberam-se essas portas no Firewall e direcionam-se os pacotes recebidos por essas portas para o IP LOCAL (da rede local) do PC servidor no MODEM ADSL.


NO CLIENTE

Vamos transmitir: os dados do receptor da COM1 pelo programa que está no diretório TC1 e os dados do receptor da COM2 pelo programa que está em TC2 usando portas diferentes para cada um.

NO DIRETÓRIO TC1 DO CLIENTE

No arquivo de configuração TcpTxClient.cfg que está nesse diretório ajustam-se:

Server = 200.180.110.9:10000

CommPort = 1

BaudRate = 1200

(as demais linhas não são alteradas)


NO DIRETÓRIO TC2 DO CLIENTE

Renomeia-se o 'batch' CLI.BAT para CLI2.BAT.

Edita-se a linha TITLE do CLI2.BAT para trocar o numero para #2.

No arquivo de configuração desse diretório ajustam-se:

Server = 200.180.110.9:10001

CommPort = 2

BaudRate = 1200

(as demais linhas não são alteradas)


Note-se que o IP é o mesmo (do mesmo servidor) mas a porta deve ser diferente.

As portas CommPort referem-se ás portas dos receptores.


NO SERVIDOR

Vamos receber: os dados dos receptores MCDI e SUR-GARD pelo mesmo IP da Internet, mas cada um com sua porta TCP/IP.

Vamos receber os dados do receptor MCDI pelo programa do diretório TC1 (porta 10000) e retransmiti-los pela porta COM5 para o PC de monitoramento.

Vamos receber os dados do receptor Sur-Gard pelo programa do diretório TC2 (porta 10001) e retransmiti-los pela porta serial COM6 para o PC de monitoramento.


NO DIRETÓRIO TS1 DO SERVIDOR

Ajustamos o arquivo de configuração TcpTxServer.cfg desse diretório com as opções abaixo, para receber TCP/IP porta 10000 e retransmitir pela COM5:

Port = 10000

CommPort = 5

BaudRate = 1200

(as demais linhas não são alteradas)


NO DIRETÓRIO TS2 DO SERVIDOR

Renomeia-se o "batch" S.BAT para S2.BAT.

Edita-se o S2.BAT para trocar a linha TITLE para #2.

Ajustamos o arquivo de configuração TcpTxServer.cfg desse diretório com as opções abaixo, para receber TCP/IP porta 10001 e retransmitir pela COM6:

Port = 10001

CommPort = 6

BaudRate = 1200

(as demais linhas não são alteradas)


Conectam-se cabos seriais entre a COM5 e a COM6 do Servidor a duas portas seriais do PC de monitoramento, digamos como:


SERVIDOR_tcpTx PC_de_monitoramento

COM5 -- cabo serial--> COM1 (receptor MCDI)

COM6 -- cabo serial--> COM2 (receptor SUR-GARD)


INICIANDO

Ajusta-se o ACK DELAY dos receptores para 9 (nove) segundos.

Executa-se o programa de monitoramento de alarmes no PC de monitoramento;


RECEPTOR MCDI

Executa-se o programa S.BAT do diretório TS1 do servidor;

Executa-se o programa CLI.BAT do diretório TC1 do Cliente;

Os dois PCs devem conectar-se e começar a transmitir os dados do receptor MCDI para o monitoramento.


RECEPTOR SUR-GARD

Executa-se o programa S2.BAT do diretório TS2 do PC Servidor;

Executa-se o programa CLI2.BAT do diretório TC2 do PC Cliente;


Os dois PCs devem conectar-se e os dados do receptor Sur_Gard devem ser transmitidos para a porta COM2 do PC de monitoramento.

Para interromper, digita-se (Ctrl-C) na janela do MS-DOS do programa a ser interrompido no Cliente, depois no Servidor.

Iniciar sempre pelo servidor.

Interromper sempre pelo cliente.


PARA MAIS RECEPTORES

Copia-se o diretório TC1 para um TC3 no cliente; copia-se o diretório TS1 para um TS3 no Servidor; precisa-se de uma porta TCP a mais (10002) em ambos e mais uma porta serial em cada um, mais uma porta serial no PC de monitoramento.

Repetem-se as configurações do arquivos de configuração do servidor e cliente dos novos diretório TC3 e TS3 como mostrado acima para as novas portas. O IP do servidor permanece o mesmo.

Pode-se usar um segundo PC para isso, ou podem-se usar três PCs, um para cada programa a ser executado - sempre com portas TCP/IP diferentes para cada um, se a conexão com a Internet é a mesma.

O Serginho diz que, se envias a configuração do que se deseja conectar, ele informa como configurar. Mas acho que conseguí explicar de modo inteligível.

Instruções mais organizadas estão no texto do diretório "Guia_do_Usuario" que será criado ao descompactar-se o pacote anexo.


Atenciosamente,


MCDI DO BRASIL

Eng. Teodorico